Skip navigation

Faltava cá esta!!!!Fui… brla pu.

Anúncios

…. atrasada [como sempre].

Até amanhã!

A três/quatro dias do fim anunciado deste blog, dou por mim a reparar que isto do mundo virtual tem muito que se lhe diga. Ora vamos lá pôr os pontos nos “is“:

  • tudo começou na base de relatar factos —> CHECK!
  • o tema principal deveria rondar o SVE —> CHECK!
  • sítios para comentar/explicar/divulgar de forma virtual merditas que se passariam por cá, sem a utilização do muito utilizado facebook estupidificado [amanhã, sou processada por isto] —> CHECK!
  • filmes, imagens, textos e gatafunhos para saberem que ainda se respira por cá —> CHECK!
  • passar o tempo —> CHECK

A verdade é que dou por mim agora já no fim a publicar tudo e mais alguma coisa menos relacionado com as actividades que por cá se desenvolvem… Mas ainda assim, tudo, e quando digo tudo é tudo mesmo, se relaciona com o desenvolvimento deste projecto SVE. Por vezes, basta só mudar um pouco a perspectiva das coisas. Como sempre e tudo na vida, claro!!!! É tudo. Amanhã há mais::

Vale mais do que a pena ver!!!! Vamos po-lo deste modo: 2 789 653 vistas no youtube em três dias… Talvez não supere algumas futilidades que andam por aí [não quero nomear ninguém], mas pelo menos não é uma perda de tempo e neurónios.

«When I was a kid I used to pray every night for a new bicycle.

Then I realised God doesn’t work that way, so I stole

one and prayed for forgiveness.» – Emo Philips.

[AQUI]

Pelo menos é o que consigo ler no BORDA D’ÁGUA – esse “verdadeiro almanaque” o mais antigo de que há memória, um “reportório útil a toda a gente”. Também decifro qualquer coisa como 5ª F. , dia de S. Padre Pio e dia do mar. Não esquecer o equinócio de Outono às 03:09 e claro está Lua cheia 6 horas e 8 minutos mais tarde. Relativamente à jardinagem e/ou agricultura, não se faz nenhuma referencia específica para o dia de hoje, mas deixo cá umas notas para o mês em geral… para quando houver tempo: “… nos pomares, aquando da última apanha de fruta, dar início à poda e limpeza de árvores. Enxertar (em fenda) cerejeiras, macieiras e pereiras e curar com calda [mas que raio?!]. Na horta semear, ao ar livre e local definitivo, agrião, cenoura, chicória, feijão, nabo, rabanete, repolho, salsa; em canteiro, acelga, alface, alho-porro, cebola e tomate. […] [No jardim] lantar bolbos: jacintos, tulipas e narcisos.”

in Borda d’água 2010.

Não sei porque, ultimamente tenho andado a interessar-me por tralha antiga. Foi a máquina de escrever da Arménia, a máquina fotográfica analógica e mais antiga que a minha avó que andou hoje pelas minhas mãos. Agora que vi isto que boto a seguir, PROCURA-SE gira-discos… Alguém tem um lá em casa entre as poeiras e os ratos do sótão que possa dispensar para a je? Quanto ao que se segue, apresenta-se o mais recente formato de vinil.

De Krzysztof Kieslowski – jutro… a primeira das três cores: Azul [1993]. Seguir-se-ao as outras: Branco[1994] e Vermelho [1994], sem pressas

Algumas daquelas já antigas que por aqui tinha, e outras ainda quentinhas…

Imagem modificada por: Daniel Wargin

E cá apareceram mais três lagartas para estes cantos…

Não me perguntem sobre as cores… Também não percebo a cem por cento, mas, com toda a certeza, que existe uma bonita explicação para esta magnífica composição. Mas não entremos pela parte da Estética, porque isso daria conversa para semestres!!!! Por hoje, fico-me pelas lagartas.

It’s raining quite a lot, but it’s normal for this time of the year…. Why am I talking about the weather? I’m becoming polish… Why do they always want to know how is the weather in Portugal?! Nie rozumiem!!!! About PETIT Sepolno, what can I say, is quite beautiful in the summer, and I could see a lot of people here…UAU!!!!

R.: Oh, se somos… e da pior espécie!!!!

Lá pelos meios da alomorfia, fomos até àqueles lados sudestes para ver o que se passa por lá. Kazimierz Dolny + 11 novas caras para “escarafunchar” e ainda uma família [2(pais)+1(filha)+1(cão)] no banco dos pastores… não que sejamos ovelhas,mas “pastores” fica bem para a outra perspectiva!!!! Das Itálias às Arménias, tivemos de tudo um pouco:  Arménia, Turquia, Polónia,  França, Espanha e ainda Portugal [sim, Portugal e não era só eu, havia lá outra personagem daí do canto!!!! Finalmente andei a usar todas aquelas expressões e ditados populares que só a nós fazem sentido]. Pormenores relatam-se daqui a um mês, ou chego aí e não tenho nada com que vos chatear…

Falta o sabor do vinho…

Tempos houve em que ainda escrevia bastante… Com o passar do tempo, comecei a escrever linhas de palavras ordenadas… A ordem, essa por vezes nem eu a percebo a 100%, mas podia ser pior… Pode sempre ser pior! Pior é não escrever, não ler e esquecer! Viajar por lás e não- lembrar!!! Não necessariamente esquecer, mas o não- lembrar tem sempre um sabor amargo!!!

Há, porém, outras que não se lembram de esquecer, ou antes não se esquecem de não- lembrar… Este é um deles, um não… dois:

Estudantes e ainda Aldeias.

Ups! Afinal são três: Cantinho

«encontras mil remédios para o tédio e uma infinidade de coisas dignas de ocupar o teu espírito durante a eternidade: o cheiro borolento dos minutos de três séculos atrás, o sentido secreto dos hieróglifos das sujeiras das moscas; o arco triunfal desse buraco de ratos […] o som do teu espirro empoeirado… a alma, enfim, de toda essa velha poeira de um canto de sala esquecido pelos espanadores.» – MILOSZ.
Acompanhemos com MURCOF.

Um mundo a cores… porque o cinzento às vezes também enjoa! Cusquem AQUI

E como sempre, cá segue mais um balanço… Desta vez, viramos-nos para os festivais… com o Verão no seu auge [em Portugal, como é óbvio, porque aqui volta e meia chove a potes], bota festivais para cima… Na verdade, são só dois: o tal de que falava no post anterior e o festival folk de Krotoszyn. Pois bem… este último fica para ser relatado na próxima semana. Quanto ao Woodstock… bem, não sei que escreva. Não tenho fotos porque, por motivos óbvios, deixei a maquineta de escrever memórias visuais em casa. O que eu sei é que há três dias atrás lia o cartaz do que dizem ser um dos maiores festivais ao ar livre da Europa e conhecia Papa Roach [que só cheguei a ver parte do fim], Girl in a Coma, Bezjahzgh [que falhei, por justa causa de desconhecimento] e Beltaine [que se reverá dentro de dias]. Fica então para aqueles que até têm tempo e se interessam, mais algumas sonoridades novas que vale a pena ouvir: Piotr Bukartyk [para aquelas melancolias de de vez em quando], Peyoti for President, Nigel Kennedy Quintet [não conhecia, que vergonha, eu sei], Ziggie Piggie e acabou-se com Jelonek… Uns melhores do que outros, mas tudo conta e tudo vale sempre a pena quando a alma não é pequena já o Outro dizia… Não há fotos – sem contar com os óculos vermelhos novos [não, não os comprei… isso é outra história que fica para Outubro; e também não comprei a viola, sem stress, ando só a dar uns toques… já tinha saudades, pah] – paleios à parte, toca a ver isto até ao fim, só naquela. Vale a pena!